Tags: ENEM

Sustentabilidade é um tema cada vez mais recorrente nas discussões sociais. Por isso, as chances desse assunto ser pedido na redação do Enem são grandes. Mas você sabe escrever uma redação sobre sustentabilidade? 

O tema está relacionado não apenas com o meio ambiente, mas também com outros pontos da sociedade, como comportamento e consumo. Por isso, é importante entender bem o eixo temático do meio ambiente para conseguir relacioná-lo com os outros assuntos.  

Para isso, ter uma repertório sociocultural é imprescindível, além de ser um dos pontos avaliados pelos corretores das redações do Enem.  

Descubra mais sobre o eixo temático do meio ambiente neste artigo e conheça pesquisas sobre sustentabilidade que podem ajudar você a escrever uma redação nota 1000.  

Aqui você vai conferir: 
Estude o eixo temático do meio ambiente  
Pesquisas para incluir no seu repertório sociocultural   
Exemplos de redações do Enem nota 1000 que abordaram sustentabilidade 

Descubra os segredos para tirar nota 1000 na redação do ENEM!

Estude o eixo temático do meio ambiente 

Eixo temático nada mais é do que um conjunto de assuntos relacionados a um tópico principal.  

Ou seja, é como se fosse um “guarda-chuva” de temas, que abrange outros assuntos menores, mas também relacionados com esse principal, como recortes de algo mais geral.  

Essa ideia é importante para o Enem pois todos os temas de redação relacionam diferentes assuntos e conceitos, que estão dentro de um mesmo eixo temático.  

Por isso, na hora de escrever uma redação sobre sustentabilidade no Enem, por exemplo, é imprescindível ter em mente o eixo temático do meio ambiente, podendo fazer relações com consumo, comportamento, sociedade, trabalho e muitos outros.  

Entre os assuntos que podem ser abordados dentro do eixo temático do meio ambiente, destacamos: 

  • poluição; 
  • desmatamento; 
  • lixo e lixo eletrônico; 
  • energia; 
  • tráfico de animais; 
  • desastres ambientais;  
  • impacto do ser humano na natureza; 
  • sustentabilidade; 
  • consumo e meio ambiente. 

Dessa maneira, a sustentabilidade não se trata apenas de meio ambiente, mas de se tomar medidas que auxiliem na manutenção do bem-estar ambiental, animal e humano a longo prazo, o que envolve muito mais do que o cuidado com a natureza.  

Conhecer bem o eixo temático evita que o candidato fuja do tema, algo que pode levar até a uma redação nota zero.  

Outros eixos temáticos que podem aparecer na redação do Enem são: saúde, cidadania, questões sociais, arte e cultura, economia, tecnologia, educação e ciência.  

>>> Leia mais: O que escrever em uma redação sobre feminicídio 

Redação sobre sustentabilidade - mãos segurando punhado de terra preta com plantinha

Pesquisas para incluir no seu repertório sociocultural  

Outro ponto muito importante para tornar a redação do Enem mais completa é demonstrar conhecimento sobre o tema além do que foi citado nos textos de apoio. 

Para isso, é preciso se manter sempre informado sobre as últimas pesquisas e acontecimentos, além de conhecer citações que enriqueçam o tema.  

A seguir, veja alguns dados que podem compor a redação sobre sustentabilidade e torná-la bem mais interessante aos olhos dos corretores do Enem. 

Consumidores esperam medidas sustentáveis das empresas 

Uma pesquisa da Opinion Box mostrou que os consumidores estão cada vez mais preocupados com a sustentabilidade. 91% dos participantes da pesquisa informaram que diminuíram o consumo de bens supérfluos pensando no menor uso de recursos naturais.  

Outro dado interessante é que 46% afirmaram que buscam informações sobre práticas sustentáveis de uma empresa antes de consumir algo dela e 62% levam o fator sustentabilidade em consideração no momento da decisão de compra.  

Desmatamento da Amazônia bate novos recordes em 2022 

De acordo com dados da Amazônia Legal, o acumulado de alertas de desmatamento foi de cerca de 9.277 km² até o final de outubro, sendo a pior marca histórica anual. Além do aumento dos desmatamentos em áreas que precisam ser preservadas, também ocorreu a diminuição das verbas para combate ao problema.  

Em 2021, na COP26, o Brasil foi signatário da Declaração dos Líderes de Glasgow sobre Florestas e Uso da Terra, documento que declara o comprometimento em deter e reverter a perda de florestas até 2030. Assim, esse é um tema bastante pertinente para abordar em uma redação sobre sustentabilidade e meio ambiente.  

Participação das fontes renováveis na matriz energética precisa crescer

O relatório CDP América Latina, criado a partir dos dados do Laboratório Cenergia da Coppe - UFRJ, mostrou que a participação das fontes renováveis no Brasil precisa crescer 52% para que o país consiga atingir a meta de zerar as emissões de gases de efeito estufa até 2050.  

Nesse caso, o investimento em infraestrutura para captação de mais energia de fontes renováveis é imprescindível para bater a meta. Assim, esse é um tema bastante recorrente quando o assunto é meio ambiente, pois também afeta a sociedade. 

Vale a pena estudar sobre fontes renováveis para escrever uma redação sobre sustentabilidade mais completa caso esse tema esteja relacionado.  

>>> Leia mais: Redação sobre fake news: estrutura, repertório e o que escrever 

Estrutura da redação do Enem 

Não fugir do tema (se manter no eixo temático) e demonstrar conhecimentos sobre o assunto são dois pontos muito importantes na redação do Enem. Além deles, escrever a redação no formato esperado pelos corretores é obrigatório.  

O Enem pede um texto dissertativo-argumentativo, ou seja, é preciso propor ideias que levam à solução do problema por meio de um texto em prosa. 

É preciso escrever até 30 linhas de redação, abordando o tema e a problemática e, depois, propondo soluções para ele.  

É possível dividir a redação em: 

  • Introdução: 1 parágrafo de 7 linhas, em média, onde se apresenta o tema e o problema de maneira geral;
  • Desenvolvimento: 2 parágrafos de 8 linhas cada, em média. É o momento de falar sobre as problemáticas de maneira mais profunda e construir a argumentação;
  • Conclusão: 1 parágrafo de 7 linhas, em média. Deve-se finalizar o texto  com uma proposta de intervenção sobre o tema, que precisa conter: solução; agente responsável; meio de resolver o problema; resultado. 

Além da estrutura indicada, lembre-se de utilizar os conectivos da maneira correta e sempre se atentar à coesão e coerência do texto geral. Assim, você consegue escrever uma redação sobre sustentabilidade sem fugir do tema e com abordagem mais completa do eixo temático.  

Exemplos de redações do Enem nota 1000 que abordaram sustentabilidade 

A redação do Enem conta com algumas regras e estilos próprios. Para aprimorar sua escrita, é interessante sempre ter em mente o tema, as ideias que devem ser passadas em cada parágrafo, as conexões entre eles e sua proposta de solução.  

Uma maneira de ficar craque em todos esses pontos é ler redações nota 1000 de outros anos e observar esses detalhes.  

Confira algumas redações de nota máxima que se relacionam com o tema da sustentabilidade: 

EXEMPLO DE REDAÇÃO NOTA 1000 - ENEM 2001 

"Neodarwinismo" 

Em prol da sobrevivência, há milhares de anos, a caça e a pesca eram praticadas pelo homem. Hoje, em nome do Neoliberalismo, na atual conjuntura de perda dos sentimentos holísticos, desmatamos e poluímos a natureza na incessante busca do lucro, em detrimento do bem-estar da humanidade. Todavia, o homem parece ter esquecido que a natureza não é apenas mais um instrumento de alcance do desenvolvimento, mas a garantia de que é possível alcançá-lo. 
 
Primeiramente, é importante ressaltar o papel do meio-ambiente para o desenvolvimento econômico de uma sociedade. É notório que a extração de recursos minerais e de combustíveis fósseis é fundamental para a atração de indústrias e consequentemente para a solidez do setor produtivo  da economia. No entanto, o uso indiscriminado desses bens naturais pela grande maioria das empresas não pode mais continuar. Cabe aos governantes e à própria população exigirem das mesmas a aplicação de parte do lucro obtido na manutenção de suas áreas de exploração e não permitir o “nomadismo” dessas indústrias. 

Nesse sentido, vale lembrar que os poderes político e econômico encontram-se intimamente ligados em uma relação desarmônica, que favorece o capital em detrimento do planeta em que vivemos. De fato, percebe-se que na atual conjuntura excludente, o poder do Estado Mínimo é medido de acordo com sua capacidade de atrair investimentos. Um exemplo disso é o grande número de incentivos fiscais e leis ambientais brandas adotados pela maioria dos países periféricos buscando atrair as indústrias dos países poluídos centrais.  Enquanto isso, a população permanece alienada e inerte, não  exigindo a prática da democracia, que deveria atuar para povo e não para os macrogrupos neoliberais. 

Além disso, cumpre questionar o papel da sociedade nesse paradoxo  desenvolvimento-destruição ambiental. É fato que a maioria da população se mantém à margem das questões ambientais, por  absorver,  erroneamente,  a  falácia  de  que  a  tecnologia  pode substituir  a natureza. Desse modo, os consumidores tecnológicos passam a exigir mais do setor produtivo, que, por sua vez, passa  a exaurir o meio-ambiente. Estabelece-se, assim, um  círculo  vicioso que  tem  como elo principal um bem finito, que, se quebrado, terá consequências desconhecidas e catastróficas para a humanidade. 

Torna-se evidente, portanto, que o que vem ocorrendo na humanidade é apenas uma sucessão de conquistas e avanços na área tecnológica. O real desenvolvimento só será alcançado quando o homem utilizar a natureza de forma responsável e inteligente. Para tanto, é preciso que sejam criados mecanismos eficazes de fiscalização, sejam eles governamentais ou não. Além disso, deve haver por parte da mídia maior divulgação das questões ambientais, para que a população possa se mobilizar e agir exercendo seus direitos. Assim, estaremos de acordo com a teoria da seleção natural, em que o meio seleciona os mais aptos e não o contrário. 

EXEMPLO DE REDAÇÃO NOTA 1000 - ENEM 2008 

"Homeostase ecológica" 

Um estudo feito pelo respeitado cientista brasileiro Enéas Salati concluiu que a Amazônia tem importante papel na manutenção do ciclo hidrológico da área entre o oceano Atlântico e o Peru. A excessiva exploração sofrida pela floresta atualmente, portanto, pode degradar o ciclo e prejudicar safras agroindustriais, bem como a geração de energia hidrelétrica na região. Seja pelos prejuízos socioeconômicos ou por pura consciência ambiental, o fato é que já passamos da hora de agir. Nesse contexto, para garantir o equilíbrio financeiro e ecológico do país, são necessários o aumento da fiscalização e a aplicação de multas severas aos desmatamentos ilegais. 

A importância ecológica da Amazônia para o Brasil e para o mundo é reconhecida por todos, leigos  ou  especialistas. Fauna e flora locais contêm espécies tão diversificadas quanto raras, elementos fundamentais em um sistema que, afetado, tem como consequência direta o desequilíbrio do ciclo hidrológico de uma região de milhares de quilômetros – e  milhões  de seres  humanos. Sem  dúvida, a manutenção de importantes atividades econômicas, como o agronegócio e a geração de energia hidrelétrica, só será possível se a floresta for mais respeitada,  já que alterações no período de precipitações prejudicam as plantações de soja e cana-de-açúcar presentes no local, além de alterarem o funcionamento das usinas. 

Tendo em vista tais perdas, é preciso elaborar medidas que garantam a proteção ambiental e o  benefício  humano. Uma solução é o aumento da fiscalização sobre a região da mata. Para isso, as forças armadas brasileiras podem exercer importante papel, tanto pela ocupação de certas áreas quanto por meio de sobrevoos, que permitiriam uma visão ampla. Da mesma forma, o poder público deve fazer controle severo na regulamentação de empresas instaladas no local, evitando a extração indevida dos recursos naturais. Nesse contexto, a aplicação de multas severas aos que promoverem o desmatamento ilegal seria imprescindível para a preservação da floresta. 

Por maior que seja o esforço despendido nessas fiscalizações e punições, porém, seus efeitos seriam limitados devido à necessidade de cobertura de uma área tão extensa e densa. Nessa perspectiva, faz sentido pensar que o longo caminho para preservar o maior patrimônio brasileiro precisa de soluções complementares, como a criação  de  selos  de  qualidade  para objetos  feitos  com madeira extraída legalmente da floresta. Isso pode propiciar uma espécie de boicote consciente da população a madeireiras ilegais e, assim, tornar mais  justificada  a desejável aceleração do processo de reflorestamento, outra medida imprescindível. 

A questão do desequilíbrio do ciclo hidrológico amazônico, portanto, precisa ser encarada como prioritária pelo poder público e pela própria sociedade. Nesse enquadre, realmente eficiente seria promover uma profunda reeducação da população, ensinando a crianças e adultos os impactos provocados pela destruição da floresta. Campanhas na imprensa e projetos nas escolas poderiam ajudar na criação dessa consciência ambiental, que já faz parte do discurso cotidiano, mas ainda precisa se inserir de verdade nos hábitos e nas posturas de cada cidadão. Eis o nosso caminho para a homeostase ecológica. 

Agora que você já sabe como fazer uma redação sobre sustentabilidade, que tal ver mais exemplos de redações dissertativas para treinar e se sair bem no Enem? Confira aqui mais exemplos! 

Use sua nota do Enem e ganhe bolsa na sua graduação EAD!

Inscreva-se no nosso Blog

Comece sua graduação EAD agora mesmo! Inscreva-se.

O que você achou dessa publicação?

Deixe o seu comentário abaixo.

BUY On HUBSPOT