Tags: ENEM

Entre os assuntos em relevância na sociedade atualmente, a violência contra a mulher é um dos que continua em discussão, principalmente pela quantidade de casos existentes.

Sendo um assunto tão relevante, é importante saber como escrever uma redação sobre feminicídio para o Enem, caso seja esse o tema escolhido para as provas futuras.

Vale lembrar que um assunto com bastante relação já foi tema do Enem em 2015: “A persistência da violência contra a mulher”. Assim, é possível que o exame explore outro aspecto em torno da temática, como o feminicídio, por exemplo.

Para fazer uma redação sobre feminicídio é preciso entender bem o conceito, conhecer a realidade brasileira e estar por dentro das medidas que já existem, como a Lei do Feminicídio.

Veja, a seguir, essas e outras informações, além de boas práticas para criar uma estrutura nota 1000 para sua redação dissertativa do Enem!

Aqui você vai ver:
O conceito de feminicídio
O feminicídio no Brasil
A Lei do Feminicídio (13.104/2015)
A estrutura ideal de uma redação sobre feminicídio

Descubra os segredos para tirar nota 1000 na redação do ENEM!

O conceito de feminicídio

A palavra “feminicídio” refere-se ao homicídio de pessoas do gênero feminino. Ou seja, é o nome dado ao crime de homicídio cometido contra mulheres e que sua motivação tenha relação com o gênero.

Assim, nem todo homicídio contra mulheres é considerado um feminicídio, mas sim aqueles que têm como motivo o fato de a vítima ser mulher.

Por ter essa motivação de gênero, o feminicídio está muito relacionado com a violência doméstica e aos relacionamentos abusivos.

Isso porque a maioria dos feminicídios envolvem o relacionamento entre um homem e uma mulher e estão relacionados a ciúmes, desconfiança ou qualquer outro motivo relacionado a isso.

O feminicídio também está atrelado à violência física, psicológica e moral. Ou seja, o criminoso, além de atentar contra a vida da mulher, também tenta desequilibrar sua vida de outra maneira, antes de cometer o crime.

Entender o conceito de feminicídio é muito importante para o candidato que vai fazer a prova do Enem, principalmente para evitar fugir do tema ou tangenciá-lo.

O feminicídio no Brasil

Apresentar dados em uma redação sobre feminicídio mostra que o candidato tem uma preocupação com os temas da sociedade e que se mantém atualizado sobre eles. Além disso, usar citações coringas também torna o texto mais rico.

O feminicídio e a violência doméstica contam com diferentes dados que podem ser utilizados.

O Anuário Brasileiro de Segurança Pública, um estudo feito com base nos dados das secretarias estaduais de segurança pública, mostra que, no Brasil, 1 mulher é vítima de feminicídio a cada 7 horas. Assim, são 3 homicídios por dia cometidos pelo fato da vítima ser uma mulher.

Segundo a pesquisa, de 2020 para 2021 o número de vítimas caiu 1,7%, sendo que em 2020 houveram 1350 vítimas e, no ano seguinte, 1340. Assim, apesar da ligeira queda, na prática, o número se mantém alto.

Outro ponto importante é que o número de tentativas de feminicídio aumentou 3,8% de 2020 para 2021. Ou seja, apesar de o número de vítimas ter diminuído um pouco, as tentativas de cometer esse crime continuam.

Uma informação que pode ser utilizada relacionando o feminicídio à violência doméstica é que o Brasil sofre de uma subnotificação dos dados. Isso porque se estima que apenas 10% dos casos de violência são, de fato, registrados e denunciados.

Vale lembrar também que muitos desses dados são fornecidos nos textos motivadores (de apoio) da prova.

Ou seja, é preciso ler com atenção para entender quais informações podem ser significativas e relevantes para seus argumentos.

A Lei do Feminicídio (13.104/2015)

A Lei do Feminicídio (13.104/15) foi criada a partir da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) sobre Violência contra a Mulher do Congresso Nacional a partir de dados analisados entre 2012 e 2013.

Esta Lei alterou o Código Penal brasileiro, incluindo o homicídio contra mulher por razão de gênero como qualificador desse tipo de crime, além de colocá-lo na lista de crimes hediondos.

Na prática, isso significa que o feminicídio passou a ser considerado um crime hediondo e sem motivo passional.

Ter sido considerado hediondo aumentou a pena de reclusão do criminoso, a punição parte de 12 anos de cadeira, em vez de 6, como em homicídios sem crime hediondo.

Para ser enquadrado como crime de feminicídio, é preciso que esteja relacionado a violência doméstica ou familiar ou com o menosprezo e discriminação pela condição de gênero, ou seja, ser mulher.

Assim, crimes resultantes da violência doméstica ou quando o autor do crime é um familiar ou teve um laço afetivo com ela são considerados feminicídio, já que se entende que quem cometeu o crime conta com uma relação de poder sobre a mulher.

Na segunda situação, é considerado feminicídio quando o crime está relacionado a discriminação: casos de misoginia, ameaças, objetificação e violência sexual, mesmo quando a vítima não conheça o autor.

A estrutura ideal de uma redação sobre feminicídio

Abordar o feminicídio em uma redação do Enem pode parecer complicado, mas o primeiro passo é sempre entender o que os avaliadores esperam dos candidatos.

O primeiro ponto é que a redação do Enem precisa ser escrita como texto dissertativo-argumentativo. Ou seja, precisa abordar o tema e argumentar as possíveis problemáticas sobre ele. Tudo isso feito em prosa, ou seja, texto corrido.

É importante considerar, também, que os argumentos e soluções não podem ir contra os Direitos Humanos.

Para escrever uma boa redação sobre feminicídio no Enem é preciso seguir a estrutura de introdução, desenvolvimento e conclusão, abordando o tema e, obrigatoriamente, mostrando possíveis soluções para o problema.

Introdução (1 parágrafo - 7 linhas, em média)

Saber como fazer uma boa introdução é essencial, já que é o parágrafo de abertura. Assim, é preciso contextualizar o tema e suas problemáticas, indicando porque é uma discussão relevante para a sociedade como um todo. Não é preciso aprofundar na argumentação, isso será feito no desenvolvimento. Vale também trazer alguns dados e citações nesse parágrafo.

Desenvolvimento (2 parágrafos - 8 linhas cada, em média)

Esse é o momento de realmente desenvolver o tema e suas problemáticas, trazendo argumentos para sustentar a sua tese. É possível utilizar os dados para confirmar ou refutar alguma ideia, mostrando a capacidade de interpretação das informações.

É interessante abordar mais de uma problemática sobre o tema, explicando como a questão afeta a sociedade. Assim, seu texto terá mais de um argumento, o que o torna mais interessante e bem avaliado.

Conclusão (1 parágrafo - 7 linhas, em média)

O último parágrafo é destinado à apresentação de uma solução para pelo menos um dos argumentos apresentados no desenvolvimento.

Nesse caso, é preciso considerar quem será o agente responsável por essa solução (agente), qual ação será tomada (ação), como será feita (modo) e qual o objetivo (finalidade).

Saber como escrever uma boa redação sobre feminicídio pode ser o grande diferencial para se sair bem na redação. Por isso, vale a pena estudar e treinar esse tema.

Veja também outros assuntos relevantes para a redação do Enem, como Educação e Fake News, e esteja preparado para a prova!

Use sua nota do Enem e ganhe bolsa na sua graduação EAD!

Inscreva-se no nosso Blog

Comece sua graduação EAD agora mesmo! Inscreva-se.

O que você achou dessa publicação?

Deixe o seu comentário abaixo.

BUY On HUBSPOT