Segundo dados divulgados pelo Censo da Educação Superior de 2017, o número de ingressos nos cursos de graduação a distância aumentou em 226% entre os anos de 2007 e 2017.

A flexibilidade nos horários de estudo e os custos mais baixos pesam na hora de escolher entre essa modalidade de ensino ou uma abordagem presencial. Apesar disso, uma dúvida ainda surge para aqueles que pretendem aderir à modalidade EAD: quem faz faculdade a distância consegue emprego?

A ausência de informações sobre o assunto pode contribuir para o surgimento de alguns “mitos” em relação aos cursos a distância. Conheça um pouco mais sobre o tema e veja as oportunidades que uma faculdade a distância pode lhe oferecer!

O ensino a distância

As regras do ensino a distância encontram-se no Decreto nº 5.622/2005. Segundo essa norma, ensino a distância é aquele em que o processo de ensino e aprendizagem é mediado por tecnologias de informação e comunicação.

Assim, as atividades desenvolvidas na metodologia EAD não exigem que alunos e professores estejam reunidos em um mesmo local. De acordo com a Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior, a previsão é que essa abordagem de ensino superará a modalidade presencial até o ano de 2033.

As vantagens da graduação a distância

Não há dúvidas que um dos principais atrativos de uma faculdade a distância é a flexibilidade de horários. Para aqueles que já estão no mercado de trabalho, o tempo é uma questão fundamental na hora de definir a graduação, sendo viável até mesmo a escolha por uma faculdade semipresencial, também chamada de graduação flexível.

O custo mais baixo das graduações a distância também pode ser apontado como uma vantagem desse segmento. Em tempos de crise, a oportunidade de estudar em faculdades boas e pagar menos por isso não deve ser desconsiderada por aqueles que buscam o diploma como forma de crescer profissionalmente.

Empregabilidade

Embora sejam evidentes as vantagens oferecidas pelos cursos EAD, quando se fala em posicionamento no mercado de trabalho algumas dúvidas ainda podem surgir. Afinal de contas, quem faz faculdade a distância consegue emprego ou será substituído por alguém que cursou uma graduação presencial?

A ideia de que a graduação presencial é melhor que a modalidade EAD em termos de qualidade é um mito que vem sendo gradativamente desconstruído. Em 2017, o Ministério da Educação editou a Portaria Normativa nº 11, atualizando a regulamentação e prezando ainda mais pela qualidade das faculdades a distância.

Na disputa por uma vaga, a modalidade da graduação cursada — EAD, presencial ou semipresencial — não terá relevância quando comparada às características pessoais do candidato.

Nesse ponto, o formado em uma graduação a distância pode ser muito bem visto, já que o comprometimento e a resiliência exigidos nessa modalidade de estudo são atributos valorizados pelos empregadores. Isso sem falar que um diploma recebido por um estudante de uma graduação a distância é exatamente igual ao da graduação presencial.

Como vimos, as características do EAD podem ser decisivas na hora de escolher por uma graduação a distância ou presencial. Qualquer que seja a modalidade de ensino, o desempenho enquanto estudante e o desenvolvimento de características como autonomia, responsabilidade e resiliência é que definirão as condições de empregabilidade daquele que concluir o ensino superior.

E aí, gostou do post e quer saber mais sobre ensino a distância? Baixe agora o Guia definitivo do EAD e saiba tudo sobre essa modalidade de ensino!

Inscreva-se no nosso Blog

New Call-to-action

O que você achou dessa publicação?

Deixe o seu comentário abaixo.

BUY On HUBSPOT