Se você tem afinidade com números e se considera uma pessoa de exatas, certamente a pergunta “qual engenharia fazer?” já veio a sua mente. 

Atualmente, existem diversos cursos na área da engenharia, sendo que cada um centraliza seus estudos em um campo de atuação diferente.

Frente a tantas possibilidades, pode ser difícil escolher qual carreira seguir.

A engenharia é uma das áreas mais promissoras da atualidade, sendo uma ótima opção de curso para quem busca uma profissão com um mercado de trabalho aquecido e repleto de oportunidades. 

A EAD UNIFEOB reúne os principais cursos de engenharia e traz informações detalhadas sobre cada campo de atuação. 

Fique conosco e descubra qual engenharia fazer!

Confira:
1. Engenharia Civil
2. Engenharia Mecânica
3. Engenharia Química
4. Engenharia Elétrica
5. Engenharia de Software
6. Engenharia Ambiental
7. Engenharia Agronômica
8. Engenharia de Produção
Conclusão

Comece sua graduação EAD agora mesmo! Inscreva-se grátis.

1. Engenharia Civil

A Engenharia Civil é uma das áreas mais tradicionais e antigas da engenharia. Ela é responsável por planejar, projetar, executar e realizar a gestão de obras e empreendimentos. 

Prédios, estradas, barragens, pontes, viadutos estão entre as edificações que contam com os conhecimentos do engenheiro civil. 

Além da parte estrutural, esse profissional também estuda o solo onde a obra será realizada, identifica quais materiais serão utilizados e especifica os tipos de instalações elétricas adequados.

O mercado de trabalho da Engenharia Civil é muito amplo. Esses engenheiros podem trabalhar na área da construção civil, com rodovias e transportes, saneamento e estruturas e fundações.

De acordo com o site Vagas, quem trabalha como engenheiro civil ganha em média um salário de R$ 5.815 no Brasil. 

A graduação em Engenharia Civil é do tipo bacharelado e tem duração média de 5 anos.

Durante o curso, os estudantes são imersos no mundo dos cálculos, da física e da perspectiva espacial. O objetivo é preparar um profissional com grande capacidade para enfrentar diversos tipos de projetos estruturais, de edificação e de transporte.

Além de ver conhecimentos gerais nas áreas de física, matemática e química, os estudantes de Engenharia Civil também trabalham conteúdos específicos da área, como:

  • Resistência dos Materiais
  • Planejamento Urbano e Transportes
  • Materiais da Construção Civil
  •  Fundações e Contenções
  • Mecânica dos Solos
  • Instalações Elétricas Prediais
  • Concreto Armado
  • Sistemas Estruturais e Hiperestáticos
  • Estruturas de Aço e Madeira 
  • Barragens e Obras de Terra
  • Projetos de Médio e Grande Porte

2. Engenharia Mecânica

A Engenharia Mecânica também é um dos ramos clássicos e mais antigos da engenharia. Essa área trata da concepção, análise, fabricação e manutenção de sistemas mecânicos. 

Ou seja, os engenheiros mecânicos são responsáveis por projetar e desenvolver motores, veículos, máquinas e sistemas termodinâmicos para todo tipo de indústria.

Desde o ar-condicionado da sua casa até os aviões, o engenheiro mecânico está envolvido com o desenvolvimento de diversas máquinas e projetos.

Além disso, sua atuação é essencial para o desenvolvimento econômico do país. Afinal, a Engenharia Mecânica também se dedica à pesquisa de novas tecnologias.

Esse profissional pode desempenhar cargos em manutenção, fiscalização e instalação, principalmente em empresas localizadas em grandes centros industriais do país.

De acordo com o site Vagas, o salário médio de um engenheiro mecânico é  R$ 7.631 no Brasil.

A graduação em Engenharia Mecânica é do tipo bacharelado e tem duração média de 5 anos.

Durante o curso, o estudante aprende de forma profunda o processo de produção, e como máquinas e ferramentas funcionam, além de ter conhecimento sobre materiais químicos e fórmulas. 

Confira algumas disciplinas que integram a grade curricular:

  • Materiais de Construção Mecânica
  • Termodinâmica
  • Máquinas de Fluxo
  • Fundição e Soldagem
  • Usinagem e Conformação
  • Sistemas Hidráulicos e Pneumáticos
  • Elementos de Máquinas
  • Automação Industrial e Sistemas de Manufatura
  • Vibrações Mecânicas e Ventilação

3. Engenharia Química

qual-engenharia-fazer-quimica

Engenharia Química é a área responsável por transformar matérias-primas em produtos úteis e apropriados para o uso através de processos químicos. 

O engenheiro químico desenvolve e supervisiona os processos de transformação de matérias-primas em produtos.

O objetivo desse profissional é definir normas e métodos para que o processo produtivo seja menos agressivo ao meio ambiente e o mais eficiente e lucrativo possível. 

Além disso, os engenheiros químicos também elaboram e identificam as melhores técnicas para transformação físico-química de matérias-primas.

Desde a tinta da caneta até os potes plásticos, os engenheiros químicos podem trabalhar em indústrias diversificadas.

Afinal, os processos químicos são utilizados em produtos de diversos setores da indústria.

Contudo, um engenheiro químico encontra ofertas de emprego principalmente nas indústrias petroquímicas, de polímeros, tintas e vernizes. 

De acordo com o site Vagas, os engenheiros químicos iniciam ganhando R$ 3.938 de salário e podem ganhar até R$ 8.682. 

A média salarial do profissional é de R$ 6.520 no Brasil.

A graduação em Engenharia Química é oferecida como bacharelado e tem duração média de 5 anos.

O curso conta também com conteúdos de bioquímica, termodinâmica, modelagem, simulação, otimização e controle de processos, engenharia das reações químicas e relacionados ao meio ambiente.

4. Engenharia da Elétrica

A Engenharia Elétrica é o ramo da engenharia que estuda as aplicações da eletricidade, do eletromagnetismo e da eletrônica. 

Os profissionais dessa área são capazes de lidar com a geração, transmissão e distribuição da energia elétrica.

Os engenheiros eletricistas têm competência tanto para planejar a operação de sistemas elétricos quanto para projetar e construir usinas e estações de geração de energia. 

O mercado de trabalho para esses profissionais está aquecido. 

As áreas mais promissoras são as que envolvem energias renováveis e alternativas, que se mostram em constante crescimento e são uma ótima oportunidade de desenvolvimento para os profissionais de Engenharia Elétrica

De acordo com o site Vagas, o engenheiro eletricista inicia na profissão ganhando R$ 5.000 de salário e pode vir a ganhar até R$ 9.001.

 A média salarial desse profissional é de R$ 7.500.

A graduação em Engenharia Elétrica também confere grau de bacharelado e tem duração de 5 anos. 

No curso, os estudantes desenvolvem a capacidade de elaborar grandes projetos com foco na lógica e na distribuição de energia.

Conteúdos que envolvem transmissão, distribuição e manutenção de energia, além das novas tecnologias que podem ser aplicadas à profissão, integram os estudos da área. 

5. Engenharia de Software

qual-engenharia-fazer-sofware

Engenharia de Software é uma área da engenharia e da computação voltada especificamente para o desenvolvimento, manutenção e criação de software.

Os engenheiros de software são responsáveis por desenvolver softwares e apps, gerenciar projetos ligados aos softwares, arquitetar o design estrutural dos programas e realizar testes nos sistemas. 

Em função disso, esses profissionais encontram um mercado de trabalho amplo e muito aquecido. 

Empresas de tecnologia, indústrias, e-commerces, agroindústria, corretoras financeiras, bancos, petrolíferas, entre muitas outras áreas contratam os engenheiros de software para criar, gerenciar sistemas ou analisar dados.

De acordo com o site Vagas, os engenheiros de software iniciam ganhando R$ 4.356 de salário e podem vir a ganhar até R$ 8.594.

A média salarial desse profissional é de R$ 6.303.

A graduação em Engenharia de Software confere grau de bacharelado e tem duração média de 5 anos. 

Durante o curso, os estudantes aprendem como projetar, desenvolver e implementar os mais diversos tipos de softwares, sejam eles para um celular ou uma máquina industrial, por exemplo.

Conteúdos como inteligência artificial, robótica, modelagem de software, linguagem de programação, estrutura de dados, design, interação e segurança são alguns dos estudos que compõem a formação. 

6. Engenharia Ambiental

A Engenharia Ambiental é área da engenharia responsável pelo estudo dos problemas ambientais de forma integrada, buscando compreender suas dimensões ecológica, social, econômica e tecnológica.

O objetivo da profissão é promover o desenvolvimento sustentável da nação, identificando os impactos ambientais causados e formas de evitá-los ou reduzi-los.  

Os engenheiros ambientais são capazes de avaliar as alterações ambientais causadas pelas atividades da humanidade, considerando sua dimensão, duração e natureza, bem como as possibilidades para revertê-las.

O engenheiro ambiental pode trabalhar com manejo e gestão das águas, saneamento, saúde pública e manejo ambiental, entre outras áreas. 

As regiões que oferecem as melhores oportunidades para o profissional formado nessa área são a Sudeste e a Sul, devido à grande concentração de indústrias.

De acordo com o site Vagas, os engenheiros ambientais iniciam na profissão ganhando R$ 3.036 de salário e podem vir a ganhar até R$ 7.908.

A média salarial desse profissionais é de R$ 5.060 no Brasil.

A graduação em Engenharia Ambiental é oferecida como bacharelado e tem duração de 5 anos. 

Durante o curso, os estudantes trabalham conteúdos relacionados à gestão ambiental, avaliação de impactos ambientais, climatologia e meteorologia, ecologia, geologia e geotecnia ambiental, recuperação e remediação de áreas degradadas, entre outros. 

7. Engenharia Agronômica

qual-engenharia-fazer-agronomica

Engenharia Agronômica é o campo de estudos que utiliza os conhecimentos de engenharia para fins agrícolas, combinando áreas como engenharia mecânica, civil, elétrica, entre outras.

Os engenheiros agrônomos trabalham na área de agronegócio, aplicando técnicas que melhoram a produtividade e a qualidade dos produtos agrícolas.

Esses profissionais estão envolvidos em todas as etapas do processo produtivo, tanto nas lavouras quanto na pecuária, sempre com o foco na qualidade e no fator ambiental.

O Brasil possui um mercado agrícola forte, o que favorece a colocação profissional dos engenheiros agrônomos. 

Nosso país é um grande polo de agricultura e pecuária, além de atuar na produção de matérias-primas e biocombustíveis.

Em função disso, esses profissionais podem atuar nas mais diversas áreas que englobam o setor da agronomia, o que amplifica as chances de encontrar uma ótima remuneração.

De acordo com o site Vagas, o engenheiro agrônomo inicia na profissão ganhando R$ 3.113 de salário e pode vir a ganhar até R$ 7.447.

 A média salarial desse profissional é de R$ 4.980 no Brasil. 

O curso Engenharia Agronômica confere grau de bacharelado e tem duração de 5 anos.

Durante a graduação, os estudantes têm um aprendizado completo nas áreas de zootecnia, recursos naturais, cadeias produtivas, produção vegetal, mecanização agrícola e muitas outras.  

8. Engenharia de Produção

Engenharia de Produção é uma área derivada da Engenharia Mecânica. Esse campo da engenharia estuda o projeto, a implantação, a operação, a melhoria e a manutenção de sistemas produtivos de uma empresa. 

Resumidamente, todas as organizações que possuam uma linha de produção necessitam de um profissional capaz de dimensionar e gerenciar seus processos produtivos. E é aí que entram os engenheiros de produção. 

Eles são responsáveis por garantir a eficiência dos processos produtivos, além de manter baixos os custos de produção de uma empresa ou indústria.

Esse profissional alia conhecimentos técnicos da engenharia com noções de gestão de pessoas, administração e economia.

Além de serem responsáveis por planejar sistemas organizacionais, os engenheiros de produção também ficam encarregados de otimizar processos e logísticas.

Em função disso, esses profissionais encontram oportunidade de trabalho em indústrias e empresas de variados segmentos.

De acordo com o site Vagas, o engenheiro de produção inicia na profissão ganhando R$ 5.072 de salário e pode vir a ganhar até R$ 9.340.

A média salarial do profissional é de R$ 7.516 no Brasil. 

A graduação em Engenharia de Produção confere grau de bacharelado e tem duração de 5 anos. 

Durante o curso, os estudantes são preparados para unir conhecimentos de administração, engenharia e economia e projetar, implantar e buscar melhorias nos sistemas de produção.

Disciplinas que envolvem sistemas de produção, controle estatístico de processos, gestão de custos industriais, processos de fabricação e planejamento e controle da produção fazem parte da grade curricular. 

Conclusão

Neste artigo, buscamos auxiliar os estudantes a escolher qual engenharia fazer. Para isso, trouxemos informações detalhadas sobre o curso e mercado de trabalho das principais engenharias da atualidade. 

Aqui na EAD UNIFEOB, todos os cursos de engenharia são oferecidos na modalidade semipresencial. Dessa forma, o estudante assiste às aulas teóricas a distância e tem acesso a todos laboratórios e oficinas para colocar em prática os ensinamentos que foram passados.

E fica a dica: se você já sabe qual o seu curso ideal, venha conhecer nossas bolsas de estudos!

E aí, já sabe qual engenharia fazer? 

Comece sua graduação EAD agora mesmo! Inscreva-se grátis.

Inscreva-se no nosso Blog

Comece sua graduação EAD agora mesmo! Inscreva-se grátis.

O que você achou dessa publicação?

Deixe o seu comentário abaixo.

BUY On HUBSPOT