Se você acompanha os noticiários, é bem possível que já tenha ouvido falar que o agronegócio é um dos setores que mais cresce no Brasil. Essa relevância da área faz com que nosso país seja um verdadeiro paraíso para o engenheiro agrônomo, profissional especializado nos processos agrícolas.  

O constante e rápido crescimento do agronegócio tem valorizado muito o trabalho do engenheiro agrônomo. Atualmente, existem oportunidades em diversas áreas, principalmente nas cidades do interior do país.

Com salários atrativos, a profissão desperta o interesse de um número cada vez maior de pessoas. Será esse é o seu caso? Venha conferir neste artigo tudo sobre o curso de engenharia agronômica e as principais habilidades que o profissional da área deve ter.

Fique conosco e descubra se essa é a carreira certa para você!

Confira:
O futuro do agronegócio 
O que faz um engenheiro agrônomo 
As habilidades que o engenheiro agrônomo precisa desenvolver  
Como funciona a graduação em engenharia agronômica semipresencial 
Conclusão

Comece sua graduação EAD agora mesmo! Inscreva-se grátis.

O futuro do agronegócio 

Atualmente, o agronegócio é um dos setores mais representativos da economia brasileira. E não é para menos: nosso país é um dos maiores produtores de grãos e exportadores de carnes do mundo. 

Segundo dados da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), em 2020, o Brasil foi o quarto país que mais produziu grãos (arroz, cevada, soja, milho e trigo) do mundo, sendo responsável por 7,8% da produção mundial. 

Nesse mesmo ano, o Brasil também ocupou o segundo lugar em quantidade de carnes exportadas (bovina, suína e aves), com 7,4 milhões de toneladas ou 13,4% da produção total mundial.

Esses dados nos permitem afirmar que o agronegócio é um dos grandes propulsores da economia brasileira.

Em 2020, no pior momento da pandemia da covid-19, o setor seguiu crescendo, ampliando para 26,6% sua participação no PIB total do país, contra 20,5% em 2019.

Para os próximos anos, a tendência é que esse mercado siga em expansão, gerando ainda mais empregos e oportunidades para profissionais capacitados. 

Contudo, a previsão é que novas demandas e habilidades sejam requisitadas na área. Assim como quase todos os setores da sociedade, a expectativa é que o agronegócio incorpore cada vez mais as novas tecnologias, automatizando processos e aperfeiçoando técnicas.  

O objetivo dessas transformações é aliar antigas práticas com novas ferramentas tecnológicas para trazer mais produtividade e sustentabilidade para o setor. 

Ou seja, o campo está mudando. Além de compreender os processos agrícolas, serão cada vez mais necessárias estratégias modernas e sustentáveis no dia a dia do setor. 

O papel da engenharia agronômica neste cenário 

A engenharia agronômica é a área responsável pelo estudo e desenvolvimento de técnicas de melhoramento do plantio, combate a pragas, colheita, armazenamento e até a comercialização dos produtos de origem vegetal e animal.

Com conhecimento sobre biotecnologia, essa área é uma das principais responsáveis pelo aumento da produtividade do agronegócio, sempre prezando pela sustentabilidade e inovação nos processos.

Os estudos de engenharia agronômica capacitam profissionais para administrar com clareza os aspectos ambientais, climáticos, geográficos, sociais e técnicos da produção. 

Sendo assim, a engenharia agronômica é uma área fundamental para o crescimento e desenvolvimento econômico do setor agrícola.

O que faz um engenheiro agrônomo

O engenheiro agrônomo é o profissional que realiza o planejamento, organização e manutenção dos processos agrícolas. 

Para isso, ele estuda, planeja e supervisiona a aplicação de princípios e processos básicos da produção agrícola. Esse profissional combina conhecimentos de biologia, química e física aos estudos específicos sobre o solo, clima, culturas e rebanhos.

Entre atividades diárias, podemos destacar:

  • Traçar estratégias para conciliar plantio/pastos com preservação do meio ambiente;
  • Pesquisar e propor novos métodos, tecnologias e práticas para o setor;
  • Determinar os métodos ideais de adubação e recuperação do solo para plantio;
  • Controlar o uso de produtos para o controle de pragas;
  • Acompanhar animais, aplicando seus conhecimentos nos processos de manutenção, alimentação, vacinação e abate;
  • Desenvolver planos de prevenção de doenças de plantas e animais;
  • Fiscalizar a produção para o mercado nacional e internacional;
  • Garantir o cumprimento das normas de manuseio e higiene;
  • Supervisionar a construção de instalações rurais, irrigação, drenagem e nivelação do solo.
  • Realizar vistorias e perícias técnicas com emissão de laudos.

Os engenheiros agrônomos normalmente trabalham com diversos outros profissionais, como zootécnicos, médicos veterinários, gestores ambientais e fornecedores.

Quanto ganha um engenheiro agrônomo 

De acordo com dados oficiais do Novo CAGED, eSocial e Empregador Web, com base em 5.073 salários, um engenheiro agrônomo ganha em média R$ 6.267,27 no mercado de trabalho brasileiro. 

A estimativa leva em conta uma jornada de trabalho de 42 horas semanais e foi feita no período de dezembro de 2020 a novembro de 2021.

Segundo a pesquisa, o teto salarial da profissão é de R$ 14.242,84.

Principais áreas de atuação do engenheiro agrônomo

Abaixo, apresentamos as principais áreas em que um engenheiro agrônomo pode trabalhar. Confira:

  • Propriedades rurais (sítios, chácaras e fazendas);
  • Laboratórios e institutos de experimentação;
  • Indústrias (de fertilizantes, de ferro, couro, bebidas, alimentícias, farmacêuticas, extrativas)
  • Serviço Público;
  • Instituições científicas e de pesquisa
  • Consultoria na área agrícola
  • Ensino Superior (com pós-graduação).

As habilidades que o engenheiro agrônomo precisa desenvolver

Agora que você já sabe a importância e o que faz um engenheiro agrônomo, vamos apresentar as principais habilidades que esse profissional deve ter. Confira:

Compromisso com o desenvolvimento sustentável e consciência ecológica

Você sabia que o agronegócio é um dos principais responsáveis pelo desmatamento do mundo?

Segundo o relatório Colheita ilícita, bens coniventes, da Forest Trends, a produção da agricultura comercial foi responsável por 60% de toda área florestal perdida no planeta, o que equivalente a 46,1 milhões de hectares. 

O desmatamento traz graves consequências para o mundo todo, incluindo a extinção de espécies animais e vegetais e mudanças climáticas perigosas para saúde e existência humana. 

Nesse sentido, cada vez mais tem se refletido sobre maneiras de atenuar o impacto da agricultura e da pecuária na natureza. Sendo assim, é papel dos engenheiros agrônomos prezar pela preservação do meio ambiente e propor uma forma sustentável de se relacionar com o planeta. 

Para os profissionais que sonham em trabalhar na área, o compromisso com a sustentabilidade e a consciência ecológica são habilidades primordiais para o exercício da profissão.   

Conhecimento em novas tecnologias e estudos constantes

A tecnologia vem revolucionando diversos setores da nossa sociedade – da educação à saúde. E no campo, essas mudanças também já estão chegando. 

Nos próximos anos, a tendência é que cada vez mais processos automatizados sejam incorporados ao setor agrícola, buscando diminuir custos e aumentar a produtividade. 

Em função disso, é indispensável que os engenheiros agrônomos dominem essas novas ferramentas e estejam constantemente atualizados das tecnologias que chegam ao mercado. 

engenheiro agrônomo - mulher de jaleco segurando computador em estufa com plantas

Entender como gerenciar recursos e ter controle financeiro

Já foi o tempo em que o engenheiro agrônomo se preocupava apenas com os processos agrícolas. Atualmente, é essencial que esses profissionais tenham também noções financeiras para gerenciar os recursos e entender como melhor aplicá-los. 

Ter habilidades e controle financeiros são competências indispensáveis para um engenheiro agrônomo que busca ser um profissional mais completo e integrado ao negócio.  

Saber liderar equipes e projetos

Os engenheiros agrônomos dificilmente trabalham sozinhos. É muito comum que esses profissionais trabalhem em parceria com outros colegas, tendo que muitas vezes delegar funções e supervisionar atividades. 

Dessa forma, saber liderar é uma habilidade fundamental para esses profissionais.

Como funciona a graduação em engenharia agronômica semipresencial 

Na UNIFEOB, temos o curso de Engenharia Agronômica na modalidade semipresencial. 

Nesse modelo, os estudantes assistem às aulas online, através de uma plataforma virtual, e realizam encontros presenciais quinzenais, aos sábados.  

Ou seja, o curso une a praticidade e flexibilidade do EAD com aulas práticas presenciais na universidade. 

O curso de Engenharia Agronômica UNIFEOB tem nota máxima no MEC, com professores especialistas, mestres e doutores. Essa graduação tem duração de cinco anos e confere grau de bacharel aos diplomados. 

Durante a formação, os estudantes compreendem de forma profunda o processo de produção agrícola, incluindo estudos sobre mercado rural e áreas de zootecnia, recursos naturais e cadeias produtivas. 

Confira todas as disciplinas trabalhadas no curso:

Grade curricular 

1º Semestre

MÓDULO 1

  • DI | Engenharia, Legislação e Mercado | 80 HORAS
  • DI | Gestão Econômica e Ambiental | 80 HORAS
  • TR | Desenvolvimento Intelectual | 40 HORAS

MÓDULO 2

  • DI | Matemática Aplicada | 80 HORAS
  • DI | Administração para Engenharia | 80 HORAS
  • TR | Autoconhecimento | 40 HORAS

2º Semestre

MÓDULO 3

  • DI | Interface Humano-Computador | 80 HORAS
  • DI | Probabilidade de Estatística | 80 HORAS
  • TR | Diálogo com a Academia | 40 HORAS

MÓDULO 4

  • DI | Desenho Assistido por Computador | 80 HORAS
  • DI | Expressão Gráfica e Geometria Descritiva | 80 HORAS
  • TR | Diversidade Cultural | 40 HORAS

3º Semestre

MÓDULO 5

  • DI | Morfofisiologia e Anatomia Vegetal | 80 HORAS
  • DI | Química Aplicada às Ciências Agrárias | 80 HORAS
  • TR | Sustentabilidade | 40 HORAS

MÓDULO 6

  • DI | Ciência do Solo | 80 HORAS
  • DI | Cana de Açúcar e Derivados | 80 HORAS
  • TR | Conhecimento Reflexivo | 40 HORAS

4º Semestre

MÓDULO 7

  • DI | Bioquímica | 80 HORAS
  • DI | Fertilidade de Solo | 80 HORAS
  • TR | Arte e Cultura | 40 HORAS

MÓDULO 8

  • DI | Nutrição Mineral de Plantas | 80 HORAS
  • DI | Leguminosas e Oleaginosas | 80 HORAS
  • TR | Identidade e Razão | 40 HORAS

5º Semestre

MÓDULO 9

  • DI | Fitopatologia - Controle de Doenças de Plantas | 80 HORAS
  • DI | Manejo de Plantas Daninhas | 80 HORAS
  • TR | Carreiras | 40 HORAS

MÓDULO 10

  • DI | Cereais - Milho, Sorgo, Trigo, Aveia e Arroz | 80 HORAS
  • DI | Zoologia e Entomologia Agrícola | 80 HORAS
  • TR| Liderança | 40 HORAS

6º Semestre

MÓDULO 11

  • DI | Adubos e Adubações | 80 HORAS
  • DI | Agrometeorologia e Climatologia | 80 HORAS
  • TR | Linguagem e Comunicação | 40 HORAS

MÓDULO 12

  • DI | Uso e Conservação do Solo e da Água | 80 HORAS
  • DI |Hidráulica, Irrigação e Drenagem | 80 HORAS
  • TR | Negociação | 40 HORAS

7º Semestre

MÓDULO 13

  • DI | Geomática - Topografia | 80 HORAS
  • DI | Agricultura de Precisão | 80 HORAS
  • TR | Planejamento Estratégico | 40 HORAS
  • EST | Estágio Supervisionado em ENGAGRO I | 60 HORAS

MÓDULO 14

  • DI | Olericultura | 80 HORAS
  • DI | Fruticultura | 80 HORAS
  • TR | Inovação | 40 HORAS
  • EST | Estágio Supervisionado em ENGAGRO II | 60 HORAS

8º Semestre

MÓDULO 15

  • DI | Tecnologia de Aplicação de Produtos Fitossanitários | 80 HORAS
  • DI | Máquinas e Mecanização Agrícola | 80 HORAS
  • TR | Empreendedorismo | 40 HORAS
  • EST | Estágio Supervisionado em ENGAGRO III | 60 HORAS

MÓDULO 16

  • DI | Produção e Tecnologia de Sementes | 80 HORAS
  • DI | Tecnologia Agroindustrial | 80 HORAS
  • TR | Tecnologia e Conectividade | 40 HORAS
  • EST | Estágio Supervisionado em ENGAGRO IV | 60 HORAS

9º Semestre

MÓDULO 17

  • DI | Plantas Estimulantes e Fibrosas | 80 HORAS
  • DI | Genética e Melhoramento Genético | 80 HORAS
  • TR | Percepção de si e do mundo | 40 HORAS
  • EST | Estágio Supervisionado em ENGAGRO V | 60 HORAS
  • TCC | Trabalho de Conclusão de Curso | 60 HORAS

MÓDULO 18

  • DI | Zootecnia - Produção de Ruminantes e não Ruminantes | 80 HORAS
  • DI | Forragicultura | 80 HORAS
  • TR | Tomada de Decisão | 40 HORAS
  • EST | Estágio Supervisionado em ENGAGRO VI | 60 HORAS
  • TCC | Trabalho de Conclusão de Curso | 60 HORAS

10º Semestre

MÓDULO 19

  • DI | Floricultura e Paisagismo | 80 HORAS
  • DI | Construções Rurais | 80 HORAS
  • TR | Aprendizagem Ativa | 40 HORAS
  • EST | Estágio Supervisionado em ENGAGRO VII | 60 HORAS
  • TCC | Trabalho de Conclusão de Curso | 60 HORAS
  • AC | Atividades Complementares | 80 HORAS

MÓDULO 20

  • DI | Administração e Economia Agroindustrial | 80 HORAS
  • DI | Marketing e Gestão do Agronegócio | 80 HORAS
  • TR | Pensamento Crítico | 40 HORAS
  • EST | Estágio Supervisionado em ENGAGRO VIII | 60 HORAS
  • TCC | Trabalho de Conclusão de Curso | 60 HORAS
  • AC | Atividades Complementares | 80 HORAS

Conclusão

Neste artigo, falamos mais sobre o engenheiro agrônomo, explicando o que faz e as habilidades indispensáveis para esse profissional.

Se você se interessou pelo curso, conheça nossas opções de bolsas de estudos! Você pode começar hoje mesmo a trilhar seu caminho no ensino superior. 

Comece sua graduação EAD agora mesmo! Inscreva-se grátis.

Inscreva-se no nosso Blog

Comece sua graduação EAD agora mesmo! Inscreva-se grátis.

O que você achou dessa publicação?

Deixe o seu comentário abaixo.

BUY On HUBSPOT