Tags: ENEM

Se você está se preparando para o Enem, certamente já ouviu falar da prova de Ciências Humanas e suas Tecnologias. 

Ela é aplicada no primeiro domingo do exame, junto com a prova de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias e a redação. Em 2022, o Enem acontece nos dias 13 e 20 de novembro.

A nota dessa prova é essencial para garantir uma boa média no Enem. Mas, muitos estudantes não dão a devida atenção a ela. 

Quer descobrir o que cai e como se preparar para a prova de Ciências Humanas e suas Tecnologias? Continue conosco neste artigo e descubra como se sair bem nessa etapa do exame!

Confira:
O que são Ciências Humanas?
As matérias de Ciências Humanas e suas Tecnologias 
As competências avaliadas na prova de Ciências Humanas e suas Tecnologias 
O que cai na prova de Ciências Humanas e suas Tecnologias do Enem
Conclusão

ciências humanas e suas tecnologias - jovens estudando juntos em sala de aula

O que são Ciências Humanas?

A área das Ciências Humanas estuda as complexidades e peculiaridades da sociedade. 

Seu objetivo é compreender as relações, as criações e os fenômenos sociais, históricos e culturais que atravessam a vivência humana. 

Ou seja, o objeto de estudo das Ciências Humanas é o homem e suas relações com o mundo que o cerca.

As matérias de Ciências Humanas e suas Tecnologias 

No Enem, a área de Ciências Humanas e suas Tecnologias é formada pelas seguintes matérias:

  • História
  • Geografia
  • Sociologia
  • Filosofia

A prova é composta por 45 questões objetivas de múltipla escolha. O número de questões de cada disciplina varia a cada ano.

Além disso, muitas questões trabalham mais de uma disciplina, relacionando conteúdos de história e sociologia, filosofia e sociologia, ou história e geografia, por exemplo.

Descubra os segredos para tirar nota 1000 na redação do ENEM!

As competências avaliadas na prova de Ciências Humanas e suas Tecnologias 

De acordo com a Matriz de Referência do Enem, o exame cobra seis competências dos candidatos nessa área, confira quais são:

Competência 1: Compreender os elementos culturais que constituem as identidades

  • H1 - Interpretar historicamente e/ou geograficamente fontes documentais acerca de
  • aspectos da cultura.
  • H2 - Analisar a produção da memória pelas sociedades humanas.
  • H3 - Associar as manifestações culturais do presente aos seus processos históricos.
  • H4 - Comparar pontos de vista expressos em diferentes fontes sobre determinado aspecto da cultura.
  • H5 - Identificar as manifestações ou representações da diversidade do patrimônio cultural e artístico em diferentes sociedades.

Competência 2: Compreender as transformações dos espaços geográficos como produto das relações socioeconômicas e culturais de poder

  • H6 - Interpretar diferentes representações gráficas e cartográficas dos espaços
  • geográficos.
  • H7 - Identificar os significados histórico-geográficos das relações de poder entre as nações
  • H8 - Analisar a ação dos estados nacionais no que se refere à dinâmica dos fluxos
  • populacionais e no enfrentamento de problemas de ordem econômico-social.
  • H9 - Comparar o significado histórico-geográfico das organizações políticas e
  • socioeconômicas em escala local, regional ou mundial.
  • H10 - Reconhecer a dinâmica da organização dos movimentos sociais e a importância da participação da coletividade na transformação da realidade histórico-geográfica.

Competência 3: Compreender a produção e o papel histórico das instituições sociais, políticas e econômicas, associando-as aos diferentes grupos, conflitos e movimentos sociais

  • H11 - Identificar registros de práticas de grupos sociais no tempo e no espaço.
  • H12 - Analisar o papel da justiça como instituição na organização das sociedades.
  • H13 - Analisar a atuação dos movimentos sociais que contribuíram para mudanças ou rupturas em processos de disputa pelo poder.
  • H14 - Comparar diferentes pontos de vista, presentes em textos analíticos e interpretativos, sobre situação ou fatos de natureza histórico-geográfica acerca das instituições sociais, políticas e econômicas.
  • H15 - Avaliar criticamente conflitos culturais, sociais, políticos, econômicos ou ambientais ao longo da história.

Competência 4: Entender as transformações técnicas e tecnológicas e seu impacto nos processos de produção, no desenvolvimento do conhecimento e na vida social

  • H16 - Identificar registros sobre o papel das técnicas e tecnologias na organização do trabalho e/ou da vida social.
  • H17 - Analisar fatores que explicam o impacto das novas tecnologias no processo de territorialização da produção.
  • H18 - Analisar diferentes processos de produção ou circulação de riquezas e suas implicações sócio-espaciais.
  • H19 - Reconhecer as transformações técnicas e tecnológicas que determinam as várias formas de uso e apropriação dos espaços rural e urbano.
  • H20 - Selecionar argumentos favoráveis ou contrários às modificações impostas pelas novas tecnologias à vida social e ao mundo do trabalho.

Competência 5: Utilizar os conhecimentos históricos para compreender e valorizar os fundamentos da cidadania e da democracia, favorecendo uma atuação consciente do indivíduo na sociedade

  • H21 - Identificar o papel dos meios de comunicação na construção da vida social.
  • H22 - Analisar as lutas sociais e conquistas obtidas no que se refere às mudanças nas legislações ou nas políticas públicas.
  • H23 - Analisar a importância dos valores éticos na estruturação política das sociedades.
  • H24 - Relacionar cidadania e democracia na organização das sociedades.
  • H25 – Identificar estratégias que promovam formas de inclusão social.

Competência de área 6: Compreender a sociedade e a natureza, reconhecendo suas interações no espaço em diferentes contextos históricos e geográficos

  • H26 - Identificar em fontes diversas o processo de ocupação dos meios físicos e as
  • relações da vida humana com a paisagem.
  • H27 - Analisar de maneira crítica as interações da sociedade com o meio físico, levando em consideração aspectos históricos e(ou) geográficos.
  • H28 - Relacionar o uso das tecnologias com os impactos sócio-ambientais em diferentes contextos histórico-geográficos.
  • H29 - Reconhecer a função dos recursos naturais na produção do espaço geográfico, relacionando-os com as mudanças provocadas pelas ações humanas.
  • H30 - Avaliar as relações entre preservação e degradação da vida no planeta nas diferentes escalas.

O que cai na prova de Ciências Humanas e suas Tecnologias do Enem 

Você já sabe que as questões de Ciências Humanas e suas Tecnologias abordam conteúdos relacionados com história, geografia, sociologia e filosofia, certo?

No entanto, é importante frisar que os conteúdos não são cobrados de forma separada, como trabalhamos durante o ensino médio. Ou seja, uma única questão pode envolver mais de uma matéria. 

Na Matriz de Referência do Enem, é possível conferir exatamente quais conhecimentos são cobrados no exame. Confira abaixo quais são:

Diversidade cultural, conflitos e vida em sociedade

  • Cultura Material e imaterial; patrimônio e diversidade cultural no Brasil.
  • A Conquista da América. Conflitos entre europeus e indígenas na América colonial. 
  • A escravidão e formas de resistência indígena e africana na América.
  • História cultural dos povos africanos. A luta dos negros no Brasil e o negro na formação da sociedade brasileira.
  • História dos povos indígenas e a formação sócio-cultural brasileira.
  • Movimentos culturais no mundo ocidental e seus impactos na vida política e social.

Exemplos de questões:

1 - (Enem/ 2018) Outra importante manifestação das crenças e tradições africanas na Colônia eram os objetos conhecidos como “bolsas de mandinga”. A insegurança tanto física como espiritual gerava uma necessidade generalizada de proteção: das catástrofes da natureza, das doenças, da má sorte, da violência dos núcleos urbanos, dos roubos, das brigas, dos malefícios de feiticeiros etc. Também para trazer sorte, dinheiro e até atrair mulheres, o costume era corrente nas primeiras décadas do século XVIII, envolvendo não apenas escravos, mas também homens brancos.

CALAINHO, D. B. Feitiços e feiticeiros. In: FIGUEIREDO, L. História do Brasil para ocupados. Rio de Janeiro: Casa da Palavra, 2013 (adaptado).

A prática histórico-cultural de matriz africana descrita no texto representava um(a)

a) expressão do valor das festividades da população pobre.   
b) ferramenta para submeter os cativos ao trabalho forçado.    
c) estratégia de subversão do poder da monarquia portuguesa.    
d) elemento de conversão dos escravos ao catolicismo romano.    
e) instrumento para minimizar o sentimento de desamparo social.    

2 - (Enem/ 2010) Negro, filho de escrava e fidalgo português, o baiano Luiz Gama fez da lei e das letras suas armas na luta pela liberdade. Foi vendido ilegalmente como escravo pelo seu pai para cobrir dívidas de jogo. Sabendo ler e escrever, aos 18 anos de idade conseguiu provas de que havia nascido livre. Autodidata, advogado sem diploma, fez do direito o seu ofício e transformou-se, em pouco tempo, em proeminente advogado da causa abolicionista.

AZEVEDO, E. O orfeu de carapinha. In: Revista de História. Rio de Janeiro: Biblioteca Nacional, ano 1, n. 3, jan. 2004 (adaptado).

A conquista da liberdade pelos afro-brasileiros na segunda metade do séc. XIX foi resultado de importantes lutas sociais condicionadas historicamente. A biografia de Luiz Gama exemplifica a:

a) impossibilidade de ascensão social do negro forro em uma sociedade escravocrata, mesmo sendo alfabetizado.
b) extrema dificuldade de projeção dos intelectuais negros nesse contexto e a utilização do Direito como canal de luta pela liberdade.
c) rigidez de uma sociedade, assentada na escravidão, que inviabilizava os mecanismos de ascensão social.
d) possibilidade de ascensão social, viabilizada pelo apoio das elites dominantes, a um mestiço filho de pai português.
e) troca de favores entre um representante negro e a elite agrária escravista que lhe outorgara o direito advocatício ao mesmo.

3 - (Enem/2017) Art. 231. São reconhecidos aos índios sua organização social, costumes, línguas, crenças e tradições, e os direitos originários sobre as terras que tradicionalmente ocupam, competindo à União demarcá-las, proteger e fazer respeitar todos os seus bens.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Disponível em: www.planalto.gov.br. Acesso em: 27 abr. 2017.

A persistência das reivindicações relativas à aplicação desse preceito normativo tem em vista a vinculação histórica fundamental entre

a) etnia e miscigenação racial.
b) sociedade e igualdade jurídica.
c) espaço e sobrevivência cultural.
d) progresso e educação ambiental.
e) bem-estar e modernização econômica.

4 - (Enem/ 2014) O índio era o único elemento então disponível para ajudar o colonizador como agricultor, pescador, guia, conhecedor da natureza tropical e, para tudo isso, deveria ser tratado como gente, ter reconhecidas sua inocência e alma na medida do possível. A discussão religiosa e jurídica em torno dos limites da liberdade dos índios se confundiu com uma disputa entre Jesuítas e colonos. Os padres se apresentavam como defensores da liberdade, enfrentando a cobiça desenfreada dos colonos.

CALDEIRA, J . A nação mercantilista. São Paulo: Editora 34, 1999 (adaptado).

Entre os séculos XVI e XVIII, os jesuítas buscaram a conversão dos indígenas ao catolicismo. Essa aproximação dos jesuítas em relação ao mundo indígena foi mediada pela

a) demarcação do território indígena.
b) manutenção da organização familiar.
c) valorização dos líderes religiosos indígenas.
d) preservação do costume das moradias coletivas.
e) comunicação pela língua geral baseada no tupi.

Gabarito: 1- E, 2 - B, 3 - C, 4 - E

Formas de organização social, movimentos sociais, pensamento político e ação do Estado

  • Cidadania e democracia na Antiguidade; Estado e direitos do cidadão a partir da Idade Moderna; democracia direta, indireta e representativa.
  • Revoluções sociais e políticas na Europa Moderna.
  • Formação territorial brasileira; as regiões brasileiras; políticas de reordenamento territorial.
  • As lutas pela conquista da independência política das colônias da América.
  • Grupos sociais em conflito no Brasil imperial e a construção da nação.
  • O desenvolvimento do pensamento liberal na sociedade capitalista e seus críticos nos séculos XIX e XX.
  • Políticas de colonização, migração, imigração e emigração no Brasil nos séculos XIX e XX.
  • A atuação dos grupos sociais e os grandes processos revolucionários do século XX:
  • Revolução Bolchevique, Revolução Chinesa, Revolução Cubana.
  • Geopolítica e conflitos entre os séculos XIX e XX: Imperialismo, a ocupação da Ásia e da África, as Guerras Mundiais e a Guerra Fria.
  • Os sistemas totalitários na Europa do século XX: nazi-fascista, franquismo, salazarismo e stalinismo. Ditaduras políticas na América Latina: Estado Novo no Brasil e ditaduras na América.
  • Conflitos político-culturais pós-Guerra Fria, reorganização política internacional e os organismos multilaterais nos séculos XX e XXI.
  • A luta pela conquista de direitos pelos cidadãos: direitos civis, humanos, políticos e sociais. Direitos sociais nas constituições brasileiras. Políticas afirmativas.
  • Vida urbana: redes e hierarquia nas cidades, pobreza e segregação espacial.

Exemplos de questões:

1 - (Enem/2012) É verdade que nas democracias o povo parece fazer o que quer; mas a liberdade política não consiste nisso. Deve-se ter sempre presente em mente o que é independência e o que é liberdade. A liberdade é o direito de fazer tudo o que as leis permitem; se um cidadão pudesse fazer tudo o que elas proíbem, não teria mais liberdade, porque os outros também teriam tal poder.

MONTESQUIEU. Do Espírito das Leis. São Paulo: Editora Nova Cultural, 1997 (adaptado).

A característica de democracia ressaltada por Montesquieu diz respeito

a) ao status de cidadania que o indivíduo adquire ao tomar as decisões por si mesmo.
b) ao condicionamento da liberdade dos cidadãos à conformidade às leis.
c) à possibilidade de o cidadão participar no poder e, nesse caso, livre da submissão às leis.
d) ao livre-arbítrio do cidadão em relação àquilo que é proibido, desde que ciente das consequências.
e) ao direito do cidadão exercer sua vontade de acordo com seus valores pessoais.

2 - (Enem/2017) O conceito de democracia, no pensamento de Habermas, é construído a partir de uma dimensão procedimental, calcada no discurso e na deliberação. A legitimidade democrática exige que o processo de tomada de decisões políticas ocorra a partir de uma ampla discussão pública, para somente então decidir. Assim, o caráter deliberativo corresponde a um processo coletivo de ponderação e análise, permeado pelo discurso, que antecede a decisão.

VITALE, D. Jürgen Habermas, modernidade e democracia deliberativa. Cadernos do CRH (UFBA), v. 19, 2006 (adaptado).

O conceito de democracia proposto por Jürgen Habermas pode favorecer processos de inclusão social. De acordo com o texto, é uma condição para que isso aconteça o(a):

a) participação direta periódica do cidadão.
b) debate livre e racional entre cidadãos e Estado.
c) interlocução entre os poderes governamentais.
d) eleição de lideranças políticas com mandatos temporários.
e) controle do poder político por cidadãos mais esclarecidos.

3 - (Enem/2011) No clima das ideias que se seguiram à revolta de São Domingos, o descobrimento de planos para um levante armado dos artífices mulatos na Bahia, no ano de 1798, teve impacto muito especial; esses planos demonstravam aquilo que os brancos conscientes tinham já começado a compreender: as ideias de igualdade social estavam a propagar-se numa sociedade em que só um terço da população era de brancos e iriam inevitavelmente ser interpretados em termos raciais.

MAXWELL. K. Condicionalismos da Independência do Brasil. In: SILVA, M.N. (coord.) O Império luso-brasileiro, 1750-1822. Lisboa: Estampa, 1986.

O temor do radicalismo da luta negra no Haiti e das propostas das lideranças populares da Conjuração Baiana (1798) levaram setores da elite colonial brasileira a novas posturas diante das reivindicações populares. No período da Independência, parte da elite participou ativamente do processo, no intuito de:

a) instalar um partido nacional, sob sua liderança, garantindo participação controlada dos afrobrasileiros e inibindo novas rebeliões de negros.
b) atender aos clamores apresentados no movimento baiano, de modo a inviabilizar novas rebeliões, garantindo o controle da situação.
c) firmar alianças com lideranças escravas, permitindo a promoção de mudanças exigidas pelo povo sem a profundidade proposta inicialmente.
d) impedir que o povo conferisse ao movimento um teor libertário, o que terminaria por prejudicar seus interesses e seu projeto de nação.
e) rebelar-se contra as representações metropolitanas, isolando politicamente o Príncipe Regente, instalando um governo conservador para controlar o povo.

4 - (Enem/2009) Os regimes totalitários da primeira metade do século XX apoiaram-se fortemente na mobilização da juventude em torno da defesa de ideias grandiosas para o futuro da nação. Nesses projetos, os jovens deveriam entender que só havia uma pessoa digna de ser amada e obedecida, que era o líder. Tais movimentos sociais juvenis contribuíram para a implantação e a sustentação do nazismo, na Alemanha, e do fascismo, na Itália, Espanha e Portugal.

A atuação desses movimentos juvenis caracterizava-se:

a) pelo sectarismo e pela forma violenta e radical com que enfrentavam os opositores ao regime.
b) pelas propostas de conscientização da população acerca dos seus direitos como cidadãos.
c) pela promoção de um modo de vida saudável, que mostrava os jovens como exemplos a seguir.
d) pelo diálogo, ao organizar debates que opunham jovens idealistas e velhas lideranças conservadoras.
e) pelos métodos políticos populistas e pela organização de comícios multitudinários.

5 - (Enem/2017) Após a Declaração Universal dos Direitos Humanos pela ONU, em 1948, a Unesco publicou estudos de cientistas de todo o mundo que desqualificaram as doutrinas racistas e demonstraram a unidade do gênero humano. Desde então, a maioria dos próprios cientistas europeus passou a reconhecer o caráter discriminatório da pretensa superioridade racial do homem branco e a condenar as aberrações cometidas em seu nome. 

SILVEIRA, R. Os selvagens e a massa: papel do racismo científico na montagem da hegemonia ocidental. Afro-Ásia, nº 23, 1999 (adaptado).

A posição assumida pela Unesco, a partir de 1948 foi motivada por acontecimentos então recentes, dentre os quais se destacava o(a)

Assinale uma das opções abaixo:

a) ataque feito pelos japoneses à base militar americana de Pearl Harbor.  
b) desencadeamento da Guerra Fria e de novas rivalidades entre nações.
c) morte de milhões de soldados nos combates da Segunda Guerra Mundial.
d) execução de judeus e eslavos presos em guetos e campos de concentração nazistas.    
e) lançamento de bombas atômicas em Hiroshima e Nagasaki pelas forças norte-americanas.    

Gabarito: 1 - B, 2 - B, 3 - D, 4 - A, 5 - D

ciências humanas e suas tecnologias - estudante de fone em frente ao computador estudando

Características e transformações das estruturas produtivas

  • Diferentes formas de organização da produção: escravismo antigo, feudalismo, capitalismo, socialismo e suas diferentes experiências.
  • Economia agro-exportadora brasileira: complexo açucareiro; a mineração no período colonial; a economia cafeeira; a borracha na Amazônia.
  • Revolução Industrial: criação do sistema de fábrica na Europa e transformações no processo de produção. Formação do espaço urbano-industrial. Transformações na estrutura produtiva no século XX: o fordismo, o toyotismo, as novas técnicas de produção e seus impactos.
  • A industrialização brasileira, a urbanização e as transformações sociais e trabalhistas.
  • A globalização e as novas tecnologias de telecomunicação e suas consequências econômicas, políticas e sociais.
  • Produção e transformação dos espaços agrários. Modernização da agricultura e estruturas agrárias tradicionais. O agronegócio, a agricultura familiar, os assalariados do campo e as lutas sociais no campo. A relação campo-cidade.

Exemplos de questões:

1 - (Enem/2016) Quanto mais complicada se tornou a produção industrial, mais numerosos passaram a ser os elementos da indústria que exigiam garantia de fornecimento. Três deles eram de importância fundamental: o trabalho, a terra e o dinheiro. Numa sociedade comercial, esse fornecimento só poderia ser organizado de uma forma: tornando-os disponíveis à compra. Agora eles tinham que ser organizados para a venda no mercado. Isso estava de acordo com a exigência de um sistema de mercado. Sabemos que em um sistema como esse, os lucros só podem ser assegurados se se garante a autorregulação por meio de mercados competitivos interdependentes.

POLANYI, K. A grande transformação: as origens de nossa época. Rio de Janeiro: Campus, 2000 (adaptado).

A consequência do processo de transformação socioeconômica abordado no texto é a:

a) expansão das terras comunais.
b) limitação do mercado como meio de especulação.
c) consolidação da força de trabalho como mercadoria.
d) diminuição do comércio como efeito da industrialização.
e) adequação do dinheiro como elemento padrão das transações.

2 - (Enem/2016) A Segunda Revolução Industrial, no final do século XIX e início do século XX, nos EUA, período em que a eletricidade passou gradativamente a fazer parte do cotidiano das cidades e a alimentar os motores das fábricas, caracterizou-se pela administração científica do trabalho e pela produção em série.

MERLO, A. R. C.; LAPIS, N. L. A saúde e os processos de trabalho no capitalismo: reflexões na interface da psicodinâmica do trabalho e a sociologia do trabalho. Psicologia e Sociedade, n. 1, abr. 2007.

De acordo com o texto, na primeira metade do século XX, o capitalismo produziu um novo espaço geoeconômico e uma revolução que está relacionada com a:

a) proliferação de pequenas e médias empresas, que se equiparam com as novas tecnologias e aumentaram a produção, com aporte do grande capital.
b) técnica de produção fordista, que instituiu a divisão e a hierarquização do trabalho, em que cada trabalhador realizava apenas uma etapa do processo produtivo.
c) passagem do sistema de produção artesanal para o sistema de produção fabril, concentrando-se, principalmente, na produção têxtil destinada ao mercado interno.
d) independência política das nações colonizadas, que permitiu igualdade nas relações econômicas entre os países produtores de matérias-primas e os países industrializados.
e) constituição de uma classe de assalariados, que possuíam como fonte de subsistência a venda de sua força de trabalho e que lutavam pela melhoria das condições de trabalho nas fábricas.

3 - (Enem/2015) Não acho que seja possível identificar a globalização apenas com a criação de uma economia global, embora este seja seu ponto focal e sua característica mais óbvia. Precisamos olhar além da economia. Antes de tudo, a globalização depende da eliminação de obstáculos técnicos, não de obstáculos econômicos. Isso tornou possível organizar a produção, e não apenas o comércio, em escala internacional.

HOBSBAWM, E. O novo século: entrevista a Antonio Polito. São Paulo: Cia. das Letras, 2000 (adaptado).

Um fator essencial para a organização da produção, na conjuntura destacada no texto, é a:

a) criação de uniões aduaneiras.
b) difusão de padrões culturais.
c) melhoria na infraestrutura de transportes.
d) supressão das barreiras para comercialização.
e) organização de regras nas relações internacionais.

Gabarito: 1 - C, 2 -B, 3 - C

Os domínios naturais e a relação do ser humano com o ambiente

  • Relação homem-natureza, a apropriação dos recursos naturais pelas sociedades ao longo do tempo. Impacto ambiental das atividades econômicas no Brasil. Recursos minerais e energéticos: exploração e impactos. Recursos hídricos; bacias hidrográficas e seus aproveitamentos.
  • As questões ambientais contemporâneas: mudança climática, ilhas de calor, efeito estufa, chuva ácida, a destruição da camada de ozônio. A nova ordem ambiental internacional; políticas territoriais ambientais; uso e conservação dos recursos naturais, unidades de conservação, corredores ecológicos, zoneamento ecológico e econômico.
  • Origem e evolução do conceito de sustentabilidade.
  • Estrutura interna da terra. Estruturas do solo e do relevo; agentes internos e externos modeladores do relevo.
  • Situação geral da atmosfera e classificação climática. As características climáticas do território brasileiro.
  • Os grandes domínios da vegetação no Brasil e no mundo.

Exemplos de questões:

1 - (Enem/ 2017) A conclusão tardia e perversa para o meio ambiente é o verdadeiro desastre ecológico e econômico ocasionado pelo plantio de café em terrenos declivosos. E o mais grave é que tal lavoura continua a ser praticada em moldes não muito diferentes daqueles que arrasaram florestas, solos e águas no século XIX.

SOFIATTI, A. Destruição e proteção da Mata Atlântica no Rio de Janeiro: ensaio bibliográfico acerca da eco-história. História, Ciências, Saúde, n. 2, jul.-out. 1997.

A atividade agrícola mencionada no texto provocou impactos ambientais ao longo do século XIX porque:

a) reforçava a ocupação extensiva.
b)utilizava o solo do tipo terra roxa.
c) necessitava de recursos hídricos.
d) estimulava investimentos estrangeiros.
e) empregava mão de obra desqualificada.

2 - (Enem/2014) “Os desequilíbrios que se registram nas encostas ocorrem, na maioria das vezes, em função da participação do clima e de alguns aspectos das características das encostas que incluem a topografia, geologia, grau de intemperismo, solo e tipo de ocupação.”

Os desequilíbrios resultantes da atuação humana junto às vertentes íngremes do relevo são fortemente ligados ao(à):

a) aumento da atividade industrial.
b) crescimento populacional urbano desordenado.
c) desconcentração das atividades comerciais e dos serviços.
d) instalação de equipamentos urbanos na periferia da cidade.
e) construção de projetos habitacionais voltados à população de baixa renda.

3 - (Enem/ 2014) O uso intenso das águas subterrâneas sem planejamento tem causado sérios prejuízos à sociedade, ao usuário e ao meio ambiente. Em várias partes do mundo, percebe-se que a exploração de forma incorreta tem levado a perdas do próprio aquífero.

TEIXEIRA, W. et al. Decifrando a Terra. São Paulo: Cia. Editora Nacional, 2009 (adaptado).

No texto, apontam-se dificuldades associadas ao uso de um importante recurso natural. Um problema derivado de sua utilização e uma respectiva causa para sua ocorrência são:

a) Contaminação do aquífero — Contenção imprópria do ingresso direto de água superficial.
b) Intrusão salina — Extração reduzida da água doce do subsolo.
c) Superexploração de poços — Construção ineficaz de captações subsuperficiais.
d) Rebaixamento do nível da água — Bombeamento do poço equivalente à reposição natural.
e) Encarecimento da exploração sustentável — Conservação da cobertura vegetal local.

Gabarito: 1 - A, 2 - B, 3 - A

Representação espacial

  • Projeções cartográficas; leitura de mapas temáticos, físicos e políticos; tecnologias modernas aplicadas à cartografia.

Exemplos de questões:

1 - (Enem/2019)

questao-fuso-horario-enem-2019

A partida final da Copa do Mundo de 2014 aconteceu no dia 13 de julho, às 16 horas, na cidade do Rio de Janeiro. Considerando o horário de verão em Berlim, de 1 hora, os telespectadores alemães assistiram ao apito inicial do juiz às:

a) 11 horas.
b) 12 horas.
c) 19 horas.
d) 20 horas.
e) 21 horas.

2 - (Enem/2016) A imagem apresenta um exemplo de croqui de síntese sobre o turismo na França:

Cartografia-Enem-2016-franca

Os croquis são esquemas gráficos que:

a) têm as medidas representadas em escala uniforme.
b) ressaltam a distribuição espacial dos fenômenos e os fatores de localização.
c) têm a representação gráfica de distâncias do terreno feita sobre uma linha reta graduada.
d) indicam a relação entre a dimensão do espaço real e a do espaço representado, por meio de uma proporção numérica.
e) proporcionam a obtenção de informações acerca de um objeto, área ou fenômeno localizado na Terra, sem que haja contato físico.

3 - (Enem/2015) O Projeto Nova Cartografia Social da Amazônia ensina indígenas, quilombolas e outros grupos tradicionais a empregar o GPS e técnicas modernas de georreferenciamento para produzir mapas artesanais, mas bastante precisos, de suas próprias terras.

(LOPES, R. J. O novo mapa da floresta. Folha de S. Paulo, 7 maio 2011 – adaptado)

A existência de um projeto como o apresentado no texto indica a importância da cartografia como elemento promotor da:

a) expansão da fronteira agrícola.
b) remoção de populações nativas.
c) superação da condição de pobreza.
d) valorização de identidades coletivas.
e) implantação de modernos projetos agroindustriais.

Gabarito: 1 - E, 2 - B, 3 - D

Use sua nota do Enem e ganhe bolsa na sua graduação EAD!

Conclusão

Neste artigo, explicamos o que são as Ciências Humanas e suas Tecnologias e o que cai nessa parte do Enem

Se você está se preparando exame, não deixe de conferir outros textos da EAD UNIFEOB:

Inscreva-se no nosso Blog

Comece sua graduação EAD agora mesmo! Inscreva-se grátis.

O que você achou dessa publicação?

Deixe o seu comentário abaixo.

BUY On HUBSPOT